Com foco no respeito e responsabilidade no trânsito, Governo Federal lança a campanha Maio Amarelo de 2021

15 de Abril, dia internacional do ciclista
15 de abril de 2021
DER/DF encerra Maio Amarelo com 20 mil atendimentos
2 de junho de 2021

Com foco no respeito e responsabilidade no trânsito, Governo Federal lança a campanha Maio Amarelo de 2021

Ministério da Cidadania é um dos parceiros da ação e atua na vertente da redução das lesões e acidentes em função do uso e abuso de álcool e outras drogas

A campanha Maio Amarelo de 2021 foi lançada nesta quinta-feira, 3.05, em Live transmitida pelas redes sociais do Ministério da Infraestrutura. O movimento do Governo Federal é reconhecido internacionalmente e tem o objetivo de mobilizar a população e todas as esferas do poder público, em âmbito municipal, estadual e federal, em prol da segurança no trânsito, para que as ações tenham o máximo de capilaridade e alcance pelo Brasil.

O uso de álcool e outras drogas é um dos grandes responsáveis pelos altos índices de lesões e mortes no trânsito. Dirigir depois de ingerir álcool é um fator de risco bem estudado nos acidentes, lesões e mortes no trânsito. A capacidade para conduzir o veículo fica prejudicada, afeta o funcionamento do cérebro, retarda o tempo de reação e ação, reduz a coordenação e o desempenho motor”

Cláudia Leite, diretora do Departamento de Prevenção, Cuidados e Reinserção Social da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania

O tema deste ano é ‘Respeito e Responsabilidade, pratique no trânsito’. As ações e debates serão voltados para o conhecimento e conscientização da segurança no trânsito, promoção do respeito e da responsabilidade, e alertar para a impaciência e intolerância ao volante.

Em 2019, de acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, o Brasil registrou 31.945 vidas perdidas decorrentes de acidentes de trânsito. O número é o mais baixo desde 2001, e parte do resultado é em função da campanha Maio Amarelo, que existe desde 2014 com o intuito de mobilizar a sociedade e todas as esferas do poder público em prol da segurança no trânsito e na preservação de vidas.

O Ministério da Cidadania é um dos parceiros da ação. Isso porque o uso e abuso de álcool e outras drogas é um dos grandes responsáveis por acidentes e lesões no trânsito. Diretora do Departamento de Prevenção, Cuidados e Reinserção Social da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (SENAPRED), Cláudia Gonçalves Leite esteve na cerimônia de abertura e enfatizou a importância da campanha e do tema.

“A mensagem é uma chamada à responsabilidade individual e coletiva. O uso de álcool e outras drogas é um dos grandes responsáveis pelos altos índices de lesões e mortes no trânsito. Dirigir depois de ingerir álcool é um fator de risco bem estudado nos acidentes, lesões e mortes no trânsito. A capacidade para conduzir o veículo fica prejudicada, afeta o funcionamento do cérebro, retarda o tempo de reação e ação, reduz a coordenação e o desempenho motor, bem como a atenção e o monitoramento do trânsito e controle do veículo”, explicou.

A SENAPRED atua pela redução da demanda de drogas no país, coordenando ações desde a prevenção e o cuidado, até a assistência, inserção social e estudos. Em 2019, a SENAPRED firmou acordo de cooperação com o DENATRAN e com o Ministério da Infraestrutura, visando a implementação de programas e ações de comunicação, educação e informação relativas às consequências do uso de drogas lícitas e ilícitas no trânsito. A ideia é promover a saúde e reduzir mortes e acidentes viários. Como um dos resultados dessa parceria, será realizado, ainda este ano, o curso “A Política Nacional sobre Drogas e o Plano Nacional de redução de mortes e lesões no trânsito” com a finalidade de capacitar profissionais que atuam nessas áreas.

Segundo a diretora, o Brasil ainda está entre os países com número alto de acidentes e mortes no trânsito em função do consumo de álcool e de outras drogas. Caso o condutor esteja a 80 km/hora, por exemplo, no caso de uma frenagem brusca, ele percorre 40 metros para tomar uma decisão, enquanto que sob efeito de álcool, que diminui o tempo de reação ao volante, a distância percorrida até o início da frenagem pode chegar a 113 metros. Se for sob o efeito da maconha, o desempenho do motorista pode ser reduzido em até 80%.

“Nós acreditamos que é realmente pela união de esforços envolvendo os órgãos dos governos nas esferas federal estadual e municipal, as entidades de classe, as empresas e toda a sociedade civil organizada que iremos mobilizar a população a discutir o tema, propiciar engajamento em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige nas mais diversas esferas. Esses esforços precisam ser cada vez mais articulados, permanentes e crescentes”, afirmou.

Abertura

A cerimônia de abertura foi promovida pelo Ministério da Infraestrutura, por intermédio da Secretaria Nacional de Transportes Terrestres (SNTT) e Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN) e parceiros, como o Serviço Social do Transporte (SEST),  Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT), ligado ao Sistema CNT (Confederação Nacional do Transporte), o Ministério da Cidadania, por meio da SENAPRED, Ministério da Justiça por intermédio da Polícia Rodoviária Federal, Ministério da Saúde, Ministério do Desenvolvimento, Ministério da Educação, Observatório Nacional de segurança Viária, Confederação Nacional de Transporte, departamento Nacional de Infraestrutura de transportes (DNIT), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), da Associação Brasileira dos Departamentos Estaduais de Estradas de Rodagem (ABDER), e demais representantes que integram o sistema nacional de trânsito.

O Secretário Nacional do Conselho de Transportes Terrestres, Marcelo Costa, do Ministério da Infraestrutura, enfatizou a importância da mobilização de todos os segmentos em prol da segurança no trânsito.

“O Maio Amarelo é um mês importante para toda a sociedade brasileira para a gente refletir e abordar um dos temas mais relevantes da nossa sociedade, que é a redução de mortes e lesões graves no trânsito. Precisamos aproveitar o mês de maio para a gente discutir com a sociedade em dividir a responsabilidade e ter esse momento de reflexão e discussão do Governo Federal com as outras instâncias do governo estadual e municipal e também com a sociedade civil organizada em busca da ideia de integração que nos levará ao sucesso aos objetivos que nós estipulamos em conjunto a ONU na próxima década de segurança Viária”.

As ações promovidas durante a campanha serão em sua maioria digitais devido à pandemia da Covid-19. Como ações previstas estão o incentivo à utilização das passarelas, faixas elevadas e faixas de pedestres, alertar os condutores sobre sinalizações e cuidados com os vulneráveis no trânsito (pedestres, motociclistas e ciclistas), dando destaque à responsabilidade de todos os atores sociais envolvidos, e ações digitais com o tema ‘No trânsito, sua responsabilidade salva vidas.

O diretor geral do DENATRAN, Frederico Carneiro, comentou a relevância de tantos parceiros estarem unidos. “Não há como conduzir uma Política Nacional de Trânsito sem firmar parcerias. As obras e a implantação do sistema viário acontecem na ponta. São os órgãos estaduais de trânsito, municipais, da União, os estados, as ações voltadas aos condutores profissionais, as ações voltadas para educação, para coibir o uso de álcool e drogas e as ações de formação de condutores. Com esse conjunto de ações temos todo o espectro da sociedade representada”.

Fonte: Ministério da Cidadania
https://www.gov.br/cidadania/pt-br/noticias-e-conteudos/desenvolvimento-social/noticias-desenvolvimento-social/com-foco-no-respeito-e-responsabilidade-no-transito-governo-federal-lanca-a-campanha-maio-amarelo-de-2021